quinta-feira, 2 de julho de 2009

Reality Check

Não sei bem como escrever isto sem parecer pedante, armada ao pingarelho ou coisas assim. Acho que não sou, mas vejo-me, decerto, diferente do que sou na realidade. Enfim.
Ontem tive um dia de trabalho diferente e inesperado que me levou por caminhos da minha terra onde nunca tinha passado, embora soubesse da sua existência. Vi muitas pessoas felizes com o pouco que têm, quotidianos que começam muito antes do meu despertar e que terminam para lá do razoável com muito esforço, vários empregos e, ainda assim, olhos luminosos de felicidade.
Queixamo-nos tantas vezes sem razão! Somos ingratos com o muito que temos. Sabemos disto, mas nada como relembrar de vez em quando.

4 comentários:

Margot disse...

És um bocadinho pedante, vá!
Mas muito querida.
Denotarei que há um Alves Redol a crescer em ti?

scbmf disse...

LOl. Em mim, nada cresce. Só para os lados e a uma velocidade estonteante! Obrigada pelo "querida" e pelo "pedante também! :)

Formiguita Bipolar disse...

Pedante: ora cá está uma das palavras chave dos meus teenage years (não, eu não era pedante; fazia era muitas piadas com o vocábulo).

De todas as coisas que me pareces ser, pedante não é uma delas, mas avante.

Relativamente ao tema do post: "The world is what you think of it. So think of it differently and your life will change". Isto para dizer que muitas vezes achamos que só aqueles que têm isto ou aquilo são felizes. Mentira. Pura mentira. Felicidade e estar bem na vida são noções diferentes de pessoa para pessoa.

scbmf disse...

@formiguita: não podia concordar mais. Até no "pedante"! :)